Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Dicas de Trânsito

dicas transito

O TRÂNSITO SOMOS NÓS

Não se pode mais pensar em acidentes de trânsito como fatos naturais ou algo do destino. Os acidentes não precisam ocorrer e podem ser evitados se adotarmos valores e posturas voltadas ao bem comum. Isto porque o trânsito transforma os indivíduos em seres coletivos que compartilham o mesmo espaço.

Para compartilhar o espaço é imprescindível que as pessoas aprendam a conviver; aprendam a pensar de forma coletiva, em favor do bem comum, de forma a respeitar ao outro e si próprio e também ao meio em que vive.
Com o objetivo de transforma a educação de trânsito num meio de repensar o quadro de violência que ora se apresenta, bem como refletir sobre os comportamentos que levam a ele, disponibilizamos textos que abordam os papeis de cada individuo neste espaço coletivo, ressaltando valores ligados à cidadania e à qualidade de vida no trânsito.

Nosso maior desafio é promover, à população em geral, iniciativas focadas no resgate de valores como o RESPEITO, a gentileza, a cooperação, a tolerância, a paciência, a solidariedade, a amizade, entre outros tão importantes para a convivência segura e harmônica.


Espera-se que essas informações e dicas sejam divulgadas e trabalhadas junto à sociedade, caso deseje colaborar com a Educação de Trânsito, envie seu texto, ideias ou sugestões para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

CRIANÇAS NO TRÂNSITO

A criança deve ter acesso a informações e orientações para que possa adotar um comportamento adequado diante dos possíveis perigos que o trânsito venha oferecer. Importante frisar que a criança em meio a sociedade é frágil e precisa de cuidados especiais, sendo ela elemento chave para o desenvolvimento da comunidade.


IDOSO NO TRÂNSITO


O aumento da população de idosos é uma importante conquista da nossa sociedade. Este fato, entretanto gera uma série de novas circunstâncias relacionadas à manutenção da saúde, manutenção de habilidades físicas, cuidados médicos e de enfermagens especiais, alem de gerar modificações ambientais, visando sempre uma melhor qualidade de vida à população.
Com o avanço da idade o grau de independência individual diminuiu, gerando consequências ao meio em que o idoso vive: necessidade de acompanhante, de locais apropriados, diminuição na altura de degraus, ou aumento no tempo de sinal de trânsito, etc. Há também uma tendência a aumentar os cuidados com a saúde, que em determinadas circunstâncias são especiais, como por exemplo, a utilização de dietas apropriadas. Tais fatos exigem o aprimoramento de todos os setores relacionados com a terceira idade e evidentemente um significante aumento de custos.

As pessoas com mais de 70 anos, às vezes até antes disso, deixam de dirigir, ainda que o façam bem, na maioria das vezes para não correrem riscos de acidentes provocados por motoristas agressivos e imprudentes.

O motorista idoso é considerado educado e cuidadoso, sendo um observador atento às leis de trânsito, sendo pequena a ameaça que estes representam para o trânsito. Porém, a maneira nervosa como se dirige em nosso País, exige interação entre estímulos e respostas rápidas obrigando o motorista responsável a manter atenção redobrada. Assim mesmo, não são poucas as situações em que têm de usar ao máximo suas habilidade psicomotoras para evitar acidentes.

JOVENS NO TRÂNSITO

A juventude é uma bela fase, com muitas novidades e transformações. Os jovens têm uma forma muito própria de ver o mundo e aproveitar a vida, que, por vezes, acaba superdimensionando-a, perpetuando uma imagem de conflito, imprevisibilidade e rebeldia.
Mesmo assim, é inconteste a legitimidade da preocupação em torno deles, mais especificamente de sua capacidade de conciliação, ou não, de todos esses desejos, dessa postura descontraída e rompimento intencional de limites, com os juízos de valor e um comportamento responsável.

A grande fragilidade neste momento entre a infância e a vida adulta está posta em teste pelo exercício da independência, o qual deve(ria) estar acompanhado da consciência diante das escolhas e da responsabilidade advinda das mesmas. Se por um lado o desejo de experimentar sensações novas, romper limites e burlar regras possibilita novas descobertas, por outro pode limitar a capacidade de avaliação dos riscos envolvidos e comprometer o respeito a leis e normas sociais.

O ímpeto desafiador associado à necessidade de aceitação e pertencimento ao grupo acaba, muitas vezes, transpondo-se para atitudes ousadas, arriscadas e até mesmo exibicionistas, como as comumente observadas no trânsito. Muitos escolhem a rua para colocar-se à prova, para testar suas habilidades e impressionar/conquistar amigos, esquecendo que se trata de um espaço público, compartilhado por outras pessoas, cujos direitos e deveres estão estreitamente relacionados.

Atitudes e comportamentos seguros no trânsito devem fazer parte da postura do jovem muito antes de iniciar o processo de habilitação. Tornar-se condutor é um marco significativo no processo de crescimento, mas esse não é o único nem o mais importante papel exercido no trânsito. Da mesma forma, os valores relativos à coletividade precisam estar acima dos interesses e desejos individuais, considerando que vidas estão envolvidas. E, justamente, quem deseja "curtir" a vida ao máximo precisa (saber) cuidar dela.

MOTOCICLISTA


O termo motociclista se enquadra a todas as pessoas que andam de moto e RESPEITAM todos os aspectos e exigências da legislação de trânsito. Estimulam e orientam quanto ao uso da motocicleta.
A paixão dos motociclistas por suas motos é grande, e cuidar de suas máquinas sempre lhes dá prazer. Também é hábito dos motociclistas se reunirem para passeios, viagens, ações filantrópicas.
Seja a trabalho a passeio, o mais importante é a segurança!

MOTORISTA


Dirigir não é apenas saber ligar e dar a partida, pisar no acelerador e nos freios, mas é antes de tudo conduzir um veiculo com responsabilidade e RESPEITO a si próprio e aos outros. Para isso é necessário que o condutor tenha atenção, atitudes de decisão, habilidade para resolver situações ou realizar manobras imprevistas, e muitas outras qualidades. A calma, a paciência são virtudes pouco encontradas na maioria dos motoristas das nossas grandes metrópoles. Pois é comprovado que grande parte do acidentes é resultado de imprudência, imperícia e irresponsabilidade.


PEDESTRE


"Vamos trabalhar pela afirmação (ou reafirmação) da existência do pedestre, a mais antiga qualificação humana do mundo. Da existência e dos direitos que lhe são próprios, tão simples, tão naturais, e que se condensam num só: o direito de andar, de ir e vir, previsto em todas as constituições... o mais humilde e o mais desprezado de todos os direitos do homem. Com licença: queremos passar."
Crônica de Carlos Drummond de Andrade, "O Direito de Ir e Vir",

O pedestre deve cuidar da sua segurança e andar com muita atenção, pois não possui acessórios ou equipamentos de proteção contra as situações de risco que enfrenta no dia-a-dia do trânsito. Por isso é muito importante adotar comportamentos seguros para prevenir acidentes.


PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES

  • Dirigir sob efeito de álcool;
  • Avanço do sinal vermelho;
  • Uso do telefone celular;
  • Excesso de velocidade;
  • IMPRUDÊNCIA/NEGLIGÊNCIA.


DICAS PARA UM BOM MOTORISTA

  • Conheça as leis de trânsito
  • Use sempre cinto de segurança
  • Conheça detalhadamente o veículo
  • Mantenha seu veiculo sempre em boas condições de funcionamento
  • Faça a previsão da possibilidade de acidentes e seja capaz de evitá-los
  • Tome decisões corretas com rapidez nas situações de perigo
  • Não aceite desafios e provocações
  • Não dirija cansado, sob efeito de álcool e drogas
  • Veja e seja visto
  • Não abuse de autoconfiança para não colocar a sua vida nem a de outros em risco
registrado em:
Fim do conteúdo da página